Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on print
Imprimir

A APPACDM de Setúbal responde a crianças e jovens, com deficiência mental, de todas as idades. A deficiência mental que os utentes apresentam está associada a diferentes causas, sendo as mais comuns alterações cromossómicas, malformações cerebrais, síndromes por deficiência metabólica, perturbações do espectro de autismo, paralisia cerebral, epilepsia e doenças neurológicas degenerativas.
É sabido que os alunos com multideficiência apresentam combinações de acentuadas limitações, as quais põem em risco o seu desenvolvimento levando-os a experienciar graves dificuldades no processo de aprendizagem e na participação, nos diversos contextos em que estão inseridos: educativo, familiar e comunitário.
O grupo de alunos com multideficiência que fazem parte do Projeto Rodança apresenta características muito diversas, as quais são determinadas, essencialmente, pela combinação e gravidade das limitações que apresentam, pela idade em que surgem e pelas experiências vivenciadas.
Os alunos com multideficiência devem ser vistos como pessoas, que com um grau maior ou menor de autonomia, com mais ou menos competências, são capazes, em menor ou maior grau, de enunciar os seus pensamentos, as suas emoções, os seus interesses, o seu modo de ver a vida e o mundo. Muito para além da fala, a criança com multideficiência está habilitada a usar o olhar, expressão facial e o gesto para comunicar com os outros.
Tendo em conta que a maioria dos alunos com multideficiência utiliza formas de comunicação não verbal para comunicar, nomeadamente não simbólica, especialmente vocalizações expressões faciais olhar para os objetos locais ou pessoas gestos naturais movimentos generalizados do tónus muscular toque etc., as quais podem ser mais ou menos subtis, resolvemos adotar como lema do Projeto “Empresta-me a tua voz, as tuas mãos e os teus pés e eu farei maravilhas”. Pretendemos, assim, valorizar as capacidades dos alunos.
Independentemente das capacidades de cada aluno, os desafios que estes enfrentam são inúmeros. Os maiores desafios deste grupo colocam-se ao nível do desenvolvimento da linguagem e da movimentação autónoma. Estes alunos precisam de ser ajudados a dar sentido ao mundo usando a informação sensorial de que dispõem.
É sabido que os alunos com multideficiência precisam ter mais experiências significativas para manterem as competências já desenvolvidas e carecem de vivenciar situações idênticas em diferentes contextos que facilitem a generalização de competências.
Facilmente se deduz que as barreiras que se colocam à participação e à própria aprendizagem dos alunos com multideficiência são bastante significativas, daí a necessidade de um apoio intensivo quer na realização das atividades diárias, quer na aprendizagem. Por sua vez, é fundamental que os adultos os aceitem como participantes ativos e lhes proporcionem vivências idênticas em ambientes diferenciados e ambientes comuns onde existam oportunidades significativas para participar em múltiplas experiências diversificadas e inclusivas, que lhes proporcionarão oportunidades para interagir com pessoas e com objetos significativos.
Os responsáveis que pensaram o Projeto Rodança interagem com os alunos e esforçam-se por tentar organizar o ambiente de uma forma que seja facilmente compreensível e ajudá-los a envolverem-se em interações que lhes possibilitem desenvolver todo o seu potencial, em ambientes inclusivos.