Provérbios: “A galinha da vizinha é melhor que a minha?” “Há aparências que não iludem.”

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on print
Imprimir

Foi o povo quem fez dos provérbios uma forma sábia de transmitir hábitos e costumes, refletindo experiências de vida, aconselhando, criticando e proibindo, embora muitos deles tenham tido uma origem erudita. O uso metafórico da linguagem, jogando com o humor, com a ironia, com os jogos de ideias e com o sentido duplo das palavras, faz dos provérbios uma fonte de conhecimento dos valores éticos, estéticos e sociais de um povo.
Em diferentes perspetivas, os alunos do 2º ciclo dedicaram-se ao estudo dos ensinamentos dos provérbios.
• O 5º ano dedicou-se ao estudo mais aprofundado dos animais, questionando vários saberes de uma sociedade onde frequentemente se fica a cobiçar a “galinha” dos outros.
• O 6º ano dedicou-se ao estudo da publicidade onde muitas vezes as aparências iludem. Tentando ver o que está por detrás dela, tomou consciência de que temos de estar elucidados para sermos consumidores responsáveis e, assim, tornar verdadeira a frase de que “há aparências que não nos iludem”.