Grupo de Dançares da APPACDM de Setúbal

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on print
Imprimir

Procurando evitar a instalação dos processos naturais de senescência, são propostas aos jovens com deficiência intelectual, atividades motoras ligadas à dança que para além de permitir a projeção na sociedade, tem também objetivos e funções específicas bem definidas.
A Atividade Motora Adaptada (AMA) é entendida como, toda a atividade motora que pode ser realizada por pessoas especiais com objetivos específicos, recreacionais, de aperfeiçoamento da condição física ou competitivos. É uma ferramenta poderosa para a promoção da qualidade de vida destas populações. A AMA é, fundamentalmente, uma forma de educação do potencial motor existente em cada ser humano através da criação de atividades de acordo com as necessidades da população em causa.
Um programa de atividades motoras deve atingir três domínios orientadores: o psicomotor, o social e o cognitivo, áreas onde a criança com deficiência, geralmente, apresenta, variando a predominância com a deficiência e com as condições a ela associadas. No caso da criança/jovem com deficiência intelectual, destaca-se logo o domínio cognitivo que por sua vez vem determinar dificuldades no desenvolvimento psicomotor e social.
Na AMA, adapta-se a atividade motora e ainda o processo de transmissão de informação (comunicação, métodos de ensino e estratégias), procura-se possibilitar o acesso à atividade motora a indivíduos com n.e.e. com vista à melhoria das capacidades: motora de execução; de despender energias; de receção de informação; de relacionamento com os outros.

É sabido que o folclore está fortemente ligado a várias ciências que dele carecem para melhor interpretação dos factos, devido ao seu carácter dinâmico, psicológico e social.
No que respeita à História, auxilia-se do conhecimento popular, pois sem este seria apenas um amontoado de factos estéreis. Também não dispensa a parte geografia, pois fatores físicos, climáticos e linguísticos também influenciam na formação de um facto folclórico. Ao nível da sociologia, é estritamente social, pois está definido como maneira de pensar, sentir, agir e reagir de um povo. Quanto à psicologia, é uma ajuda numa melhor interpretação do comportamento humano.
No âmbito pedagógico, tem como objetivo fazer com que os alunos compreendam melhor a sua comunidade, sendo que, o estudo do folclore contém preciosos ensinamentos de inestimável valor para a educação do povo. Proporciona ainda aos alunos agilidade, resistência, senso de responsabilidade, iniciativa e socialização.
O Grupo de Dançares da APPACDM de Setúbal foi formado em 1996 e que tem vindo a desenvolver-se até ao presente ano letivo sob a responsabilidade de quatro docentes da escola de educação especial. Pretende-se dar a conhecer à comunidade o empenho dos alunos/utentes e as suas capacidades expressivas, assim como um pouco da cultura/tradição da região onde a Instituição está situada, através da interpretação de danças tradicionais Portuguesas.
Para intervenção com este grupo são utilizadas modas da região de Setúbal e coreografias adequadas as mesmas e as competências dos jovens que participam no grupo.
Tendo em conta que as características de cada jovem, procura-se estabelecer coreografias diferenciadas e ajustadas que permitam a participação de todos, tendo por base os usos, costumes e tradições da região de Setúbal e dando-lhes a possibilidade de contactar as tradições de outras regiões através dos intercâmbios (espetáculos e atuações), promovendo uma verdadeira inclusão.